A MAGIA DE VENCER


EXPERT SESSION | EARVIN ‘MAGIC’ JOHNSON E ANA LAURA MAGALHÃES
Higor Vieira, Investimentos Blue

“Magic” Johnson, um dos maiores exemplos da historia do basquete, trouxe algumas lições da sua trajetória. Disse que, para chegar onde está, teve muitos mentores, no qual repassa os mesmos conselhos para outros jovens.

E relatou que jogar contra Michael Jordan era divertido, pois sempre admirava ela, e hoje são bons amigos.

Comentou sobre o momento dos esportes na pandemia. Hoje temos varias modalidades no mundo todo, acontecendo sem os torcedores.

Porém, os torcedores são os que geram as maiores receitas aos clubes, e um dia será preciso que voltem as quadras.

Mas fora isso, na visão dele, é importante a presença deles. Os jogadores possuem melhor desempenho quando sentem a energia vinda do público.

Ele contou um pouco sobre sua experiência no empreendedorismo. Quando se lidera uma equipe, é preciso passar a mentalidade de vencer. Isso faz com que todos os integrantes sejam cada vez melhores.

Johnson relatou sobre como investe. Ele gosta de analisar o track record da empresa nos últimos 4 ou 5 anos, se sua receita está crescendo, pra que direção a empresa vai, as perspectivas futuras da companhia e também as pessoas envolvidas, do CEO até as equipes de gestão.

Ele relatou quando era um jovem jogador de basquete na faculdade. Na época as duas maiores empresas era Adidas e Converse.

Ambas ofereceram contratos a ele por muito dinheiro. Nisso, a Nike que era iniciante, ofereceu a mesma quantia e até ações da companhia. Ele recusou a Nike, e se arrepende até hoje disso.

Redes sociais da BlueTrade

Instagram: https://www.instagram.com/BlueTradeInvest/
Facebook:
https://www.facebook.com/BlueTradeInvest
Linkedin:
https://www.linkedin.com/company/BlueTradeInvest
YouTube:
https://www.youtube.com/BluetradeTv

UMA CONVERSA COM MALALA YOUSAFZAI

Malala Yousafzai, uma das maiores ativistas no mundo e vencedora do prêmio Nobel, contou o início de sua trajetória.

Quando criança, o seu direito a educação foi extirpado, dentre a região onde ela vivia, com área de guerra, escolas sendo destruídas, zona de conflito. Enfim, toda a liberdade sendo cerceada.

Ela não dormia, sempre com receio de ser o próximo alvo.

Mas a maior lição que ela aprendeu durante toda a jornada é cada um confiar em sua voz, assim como ela fez.

Cada um acreditar em si, a idade não é importante, e sim iniciar sua jornada. Sempre existiram questões sociais, e quando tentaram silencia-la com um tiro, ela se deu conta de que sua voz era mais poderosa do que imaginava.

Isso foi um estímulo muito grande para ela, provando que sua voz pode mudar uma comunidade e trazer conscientização.

Ela acredita que a educação universal deve estar ao alcance de todos, por meio da tecnologia e dos direitos humanos.

E deve se haver equilíbrio naquilo que é ensinado, onde a maioria das pautas são ocidentais, e a maioria das crianças não aprendem suas raízes locais, sobre seus ancestrais. Um equilíbrio é importante nesse sentido.

Malala trabalha para preparar as crianças para o futuro. Num mundo onde o fake news é espalhado a todo momento, é importante termos jovens se transformando em pensadores, tendo suas próprias criticas e opiniões.

E também defende sobre a igualdade de direitos entre os homens e as mulheres. A educação é uma parte extremamente importante no empoderamento das mulheres, na sua emancipação, onde elas acreditam que podem ser engenheiras, pilotas, líderes, empresárias.

É preciso tirar esse medo que a sociedade impõe a todas elas.

Ziauddin Yousafzai, pai de Malala, também participou, relatando que a educação transforma a vida de qualquer pessoa. reforçou a frase de Nelson Mandela, onde “a educação é a arma mais poderosa que pode mudar o mundo”.

Este conceito foi fundamental na criação de Malala, ao refletir o que ela se tornou hoje. Ainda sobre a criação, quando questionado, disse: “não perguntem o que fiz, perguntem o que não fiz”.

Ele não cortou as asas de Malala, e sempre deu total liberdade e respeito para que ela voasse sozinha.

Malala finaliza que o momento pós-pandemia que estamos passando é de grande mudança mundial, sendo importante nos adaptarmos.

Mas nunca devemos deixar de lutar pelo direito de opinar, de ter educação ao nosso alcance e aumentar nossa voz, trazendo um mundo mais humano e igualitário.

Redes sociais da BlueTrade

Instagram: https://www.instagram.com/BlueTradeInvest/
Facebook:
https://www.facebook.com/BlueTradeInvest
Linkedin:
https://www.linkedin.com/company/BlueTradeInvest
YouTube:
https://www.youtube.com/BluetradeTv

EXPERT XP 2020 | Min. Paulo Guedes: Momento econômico brasileiro

O ministro da economia Paulo Guedes afirmou que os últimos 5 meses foram muito intensos para o governo.

No entanto, a crise politica abaixou graças a população que percebe o trabalho que o governo tem feito, como auxilio emergencial, credito para as empresas – estendendo o consumo privado, reforma da previdência, etc.

Durante a pandemia, não faltaram recursos para a saúde. Segundo o ministro, não ha problemas no aumento da divida publica para a saúde na situação de calamidade que vivemos, pois o mundo todo entende isso.

E também entende que isso pode se recuperar por meio das medidas fiscais.

Segundo Guedes, haverá um boom de 10 anos de contrato civil no Brasil. As classes mais baixas alcançarão a casa própria com juros mais baixos, onde a previsão é de 1 a 2 milhões de novos integrantes.

Ele ressaltou sobre o atual compromisso com o controle de gastos. Mas parte disso foi herdado pelo governo anterior, onde o descontrole levou o Brasil ao endividamento em “bola de neve”, derrubando taxa de câmbio e juros altíssimos.

A economia vive de expectativas sobre o futuro. Segundo ele, as três principais despesas foram sanadas em pouco tempo de governo: reforma da previdência, taxa de juros e funcionalismo público.

Despesas estas que estão controladas e que continuarão tendo controle futuramente. Mas o principal agente que vai destravar isso será o investimento privado.

A reforma tributaria pode ser interditada, e segundo ele a CPMF não entra, pois há amplas áreas de tributação ainda não exploradas, como o comércio eletrônico e transações de pagamentos.

E resumiu que haverá sim impostos sobre dividendos. E o imposto PJ vai cair. Os atuais 35% devem cair para média mundial próxima de 20%.

Segundo Guedes, “fizeram o teto (de gastos) mas não as paredes”, para conter os gastos com a previdência e com o funcionalismo.

E reforça que sempre ha a vontade econômica de executar, mas não há o auxilio politico necessário. E finalizou que não sairá do governo tão cedo.

Redes sociais da BlueTrade

Instagram: https://www.instagram.com/BlueTradeInvest/
Facebook:
https://www.facebook.com/BlueTradeInvest
Linkedin:
https://www.linkedin.com/company/BlueTradeInvest
YouTube:
https://www.youtube.com/BluetradeTv

EXPERT XP | Liderança em tempo de crise

Guilherme Benchimol, CEO da XP Inc. comentou sobre a 2ª onda do Covid. O desafio foi grande para trazer proteção a toda equipe, trazendo junto uma nova forma de trabalho para o modelo de negócio.

Além disso, houve um lado social importante, com a causa de ajudar as pessoas na miséria, engajando os clientes a trazer cada vez mais esse sentimento de ajudar o próximo.

Segundo José Galló, CEO das Lojas Renner, numa situação como esta da pandemia, é fundamental que a companhia desse todo o suporte aos colaboradores, com um constante contato com líderes após migração para o home office, tentando manter o máximo da normalidade possível com mais de 600 lojas fechadas.

Carlos Brito, CEO da AB InBev, reforçou que a empresa em breve terá pontos de venda especiais para melhor acessibilidade ao cliente.

Segundo ele, ficou claro que, para resolver um problema como a pandemia, é preciso muita colobração, partindo de várias frentes – iniciativa pública e privada, ONGs, etc.

Brito questionou ao Benchimol sobre o aprendizado que a pandemia deixou. O CEO da XP Inc. respondeu que o maior legado foi que o mercado precisa muito menos de espaço físico do que o necessário, trazendo uma nova forma de trabalho, mais eficaz, agenda mais efetiva, além do aumento da qualidade de vida,.

Com as pessoas mais conectadas e o comprometimento com a companhia por parte dos colaboradores por meio do home office. Todo o ecossistema ficou muito melhor.

Brito reforçou que o pânico e o medo têm seu lado positivo, fazendo com que o trabalho em casa traga mais liberdade e empoderamento para as pessoas, e consequentemente mais eficiência e menos burocracia e disrupções internas.

Galló reforçou que o estilo de gestão também mudou. Foi preciso se adaptar à realidade da inovação.

Os treinamentos internos levavam para a complexidade, e hoje devem levar para a leveza. Isso também ajuda a trazer talentos inovadores e que respirem a empresa e seus clientes. Também reforça que é importante a empresa preparar os colaboradores para a resiliência e para a imprevisibilidade.

Benchimol finalizou que o maior segredo é sonhar grande e começar pequeno. Mas não deixar de parar a corrente do bem.

A crise não acabou e é importante cada um fazer sua parte. Brito também finalizou que continua otimista com o Brasil e que a empresa continuará acreditando em novos talentos e na “dor de dono” que cada um precisa ter.

E Galló conclui que o grande valor do país nos próximos anos serão as empresas. Ele comparou a crise com um furacão, que possui sua parte destrutiva, mas nunca deixa de ter energia. Isso fez com que as pessoas se redescobrissem no novo modelo que vivemos.

Redes sociais da BlueTrade

Instagram: https://www.instagram.com/BlueTradeInvest/
Facebook:
https://www.facebook.com/BlueTradeInvest
Linkedin:
https://www.linkedin.com/company/BlueTradeInvest
YouTube:
https://www.youtube.com/BluetradeTv

EXPERT XP | Tony Blair: O mundo e seu futuro

Segundo Tony Blair, a politica mundial sabe sempre o que fazer. O mais difícil é colocar em pratica.

É preciso eliminar a corrupção, ter estado de direito, regras previsíveis, setor publico eficiente e não superinflado, e acima de tudo educar o povo adequadamente, alem da certeza de que as oportunidades sejam igualmente acessíveis.

Os desafios atuais não são ideológicos, mas os problemas reais são práticos, que pedem soluções praticas.

Ele reforça que, sobre o Covid-19, tudo o que esteve presente antes da crise estará também após a crise, de forma maior e acelerada, ainda por vir problemas econômicos globais.

Ainda existem países com dilema entre enfrentar o lockdown – causando danos econômicos – ou aguardar testes rápidos e precisos sem travar a economia.

Segundo Blair, a China será uma potencia, não importa o que acontece. A tecnologia chinesa será algo incomparável nos próximos anos.

Hoje eles possuem uma posição agressiva de liderança, fazendo com que os países desenvolvidos mantenham uma posição mais estratégica ao invés de reagir a tudo o que a China vem fazendo.

O jeito é aceitar o fato de que o regime chinês será mais duro e rígido. Nisso tudo, passaremos por um período turbulento e é necessário saber navegar nesse ambiente.

Ele também reforça que sempre foi contra o Brexit, com receio de que o Reino Unido saia sem um acordo, pelo menos, na contenção do coronavírus.

A vacina será o caminho mais indicado para a recuperação. E finaliza que deseja o melhor para o Brasil, que está num momento difícil, mas vai recuperar com o tempo.

EXPERT XP | Ray Dalio: “A mudança da ordem global: onde estamos e para onde vamos”

Segundo Ray, se olharmos a questão das taxas de juros, no longo prazo estamos caminhando para zero.

O fornecimento de credito aumentou, e isso faz com o que o valor da moeda diminua. Isso tem sido verdadeiro durante toda a historia.

Hoje há um atual conflito entre republicanos e democratas que possuem ideologias diferentes.

Economicamente falando, os democratas são mais liberais ou conservadores, fazendo com que isso se comunique a uma possível desigualdade de riqueza.

Os efeitos dos cortes tributários foram bons para o mercado de acoes global e principalmente o americano.

Ele reforça que existem 4 guerras ocorrendo atualmente: comercial, tecnológica, geopolítica e também uma possível guerra de capital. Isso implica todas as dimensões globais.

Segundo ele, para investimentos, é imprescindível a diversificação – de ativos, de países, de moedas, etc. Ela faz com que elimine mais o risco. É difícil dizer qual o melhor investimento.

Se isso fosse fácil, todos comprariam o mesmo investimento e ganhariam dinheiro. Ele reforça também que os EUA esta arriscando seu status de moeda reserva, com o constante desenvolvimento da China.

Hoje o dólar lhe permite comprar no mundo todo, sem restrição.

Sobre EUA e China, e importante entender as diferenças entre os países. A China e um pais moderno, bem gerenciado, com uma cultura forte e disciplinada.

Já os EUA e um pais individualista, onde cada um protege seus direitos, sua prosperidade e opiniões individuais.

Ele finalizou com um recado para novos empreendedores no mundo: menos sonho e mais realidade.

O sucesso se da em 5 etapas:

1 – Conheça as suas metas.
2 – Abrace seus problemas, fracassos, obstáculos e aprenda com eles.
3 – Sempre execute tudo aquilo que planeja.
4 – Não deixe o ego atrapalhar os seus percursos.
5 – Não trabalhe por dinheiro, pois ele não tem propósito. Faca com que o trabalho e paixão sempre andem juntos.

O fim do CDI! Uma nova era para os investimentos.

Hoje foi realizada a live “O fim do CDI! Uma nova era para os investimentos” com a presença de Guilherme Abbud, sócio-fundador da Persevera Asset Management, e apresentação de Marco Túlio Schiavinato, sócio e superintendente regional da BlueTrade e Eliseu Hernandez da área de Produtos e Alocação da BlueTrade.

Segundo Abbud, tivemos uma recessão de balanços. Durante anos, o Brasil viveu em investir se baseando em empréstimos, tanto o cidadão quanto os empresários.

Nisso, em 2015 gerou-se uma bolha de consumo, fazendo com que o Banco Central começasse a trabalhar educadamente em direção a meta.

Também reforçou que o CDI não voltará para altos patamares novamente. Na visão da asset, o CDI não deve voltar para acima de 4% a.a. nos próximos 5 anos.

Estamos vivendo um movimento transformacional no Brasil que, como país emergente, está vivendo um movimento de juros baixos semelhante a países desenvolvidos.

Abbud também reforça que pode haver a recuperação em V ou U. Porém, o pequeno e médio empresário não vai sentir isso de forma espontânea.

Nos EUA, quando a Bolsa sofre queda, sua Renda Fixa se contrapõe e tem bons retornos. Porém, isso nunca funcionou Brasil durante as crises, a Bolsa e Renda Fixa sempre vão mal juntas, afetado por conta do câmbio. Isso se deve a alta dependência do investidor estrangeiro que sempre tivemos.

Mas isso tem mudado, pois o Brasil está com mais de R$360 bilhões de reservas internacionais, a maioria das empresas nacionais já transformaram suas dívidas em reais e a própria maioria dos investidores estrangeiros já estão fora do país.

Na visão dele, a correlação entre Bolsa e Renda Fixa começou a funcionar no Brasil, semelhante aos EUA. Também há o sentimento de deslocamento entre o mundo financeiro e a economia real.

A evolução da taxa de juros também foi grande, na redução de 14% a.a. para os atuais 2% a.a. nos últimos anos. O lucro das empresas devem “patinar” por um tempo, mas os investidores farão mais compras em Bolsa, acreditando no lucro futuro.

E a Bolsa sempre antecipa todo esse movimento de retomada.

Assista a live completa no link abaixo:

Sala de Espera (0:00)
Início (15:18)
Para onde vai a taxa Selic? (24:10)
Como ir além do corte de juros? (38:12)
Quais serão as próximas medidas adotadas pelo Banco Central? (45:27)
Recuperação em V ou em U, Qual será a do Brasil? (51:21)
Como investir nesse cenário (55:22)
Criação de uma carteira e Instrumentos de proteção (1:00:56)
Economia X Performance da Bolsa (1:08:10)
Revolução silenciosa da economia brasileira (1:13:29)
Considerações finais: Desapego do CDI e estratégia para sucesso na Bolsa (1:13:29)

A Pandemia e o Mercado Segurador

No último sábado, 04/07, foi realizada a live “A Pandemia e o Mercado Segurador” com a presença de Helder Molina, CEO do Grupo Mongeral Aegon, e intermediação de Rafael Rezende, sócio e superintendente da BlueTrade.

Para ele, o segredo do sucesso de uma empresa é que ela tenha um propósito. E a Mongeral Aegon faz a mesma coisa desde sua formação: ajudar as pessoas a cuidar e proteger seu futuro.

Estamos sempre sujeitos a uma morte prematura ou invalidez em nossas vidas. É preciso mantermos nossa sobrevivência.

Segundo Helder, a companhia sempre passou por crises e problemas mundiais. Nisso, ele trouxe 3 passos que sempre executou em sua vida durante todas elas: não assistir televisão, não ler jornal e trabalhar mais.

Ele reforça que, graças ao pânico que a mídia traz todos os dias, a necessidade de compra de seguro no mundo tem aumentado ainda mais. No momento da pandemia, o lucro da companhia foi 50% maior do que era estimado, mostrando que estão batendo recordes.

Ele reforça também a necessidade da educação financeira desde o berço, comparando a cultura de pensamento de uma mulher gravida nos EUA com uma mulher gravida no Brasil.

No exterior, a família planeja a necessidade de poupar antes mesmo do nascimento do filho. A educação financeira é imprescindível nas escolas.

Na opinião de Helder, a pandemia chegou por uma razão: o mundo estava doente e ela fez com que as pessoas abrissem a mente.

Para ele, e necessária uma iniciativa mundial e global, numa união das empresas privadas para possível criação de renda mínima e uma saude universal, sem dependência do governo.

Ele finaliza trazendo a questão da longevidade. É importante todos nos vivermos com responsabilidade social, e para isso é necessário equilibrarmos nossa saude e nossos recursos.

Veja a live completa no link abaixo e tire suas dúvidas.

Sala de espera (0:00)
Início (12:31)
Papel da tecnologia para atravessar a crise (16:23)
Economia brasileira (21:31)
Reabertura dos mercados (25:13)
Jogo de cintura (33:20)
Reflexos digitalização no mercado de seguros (34:04)
Importância de falar sobre proteção (39:08)
Como reduzir o abismo da educação financeira no Brasil (41:03)
Desburocratização do planejamento patrimonial (47:26)
Inovação no mercado segurador (48:33)
Democratização do acesso à saúde (52:50)
Ajudar a população a ser mais saudável (56:42)
Filantropia e responsabilidade social (58:35)
Considerações finais (1:00:53)


Webinar: Inovação e o Futuro dos Investimentos no Brasil, com Guilherme Benchimol.

No último sábado, 27/06, a BlueTrade realizou o webinar “Inovação e o Futuro dos Investimentos no Brasil” com a ilustre presença de Guilherme Benchimol, CEO e sócio-fundador da XP Inc. com intermediação de Wagner Vieira, sócio-fundador da BlueTrade.

Ações juntos transformamos e ESG 
14m15s até 20m20s

Alguns tópicos foram abordados, como a ação social “Juntos Transformamos”. Na visão do Guilherme, o principal intuito é espalhar a corrente do bem.

Se não puder ajudar numa causa existente, faça a diferença e ajude uma causa próxima de você. Com esse sentimento sairemos mais rápido da crise.

O que tem para nos dizer sobre esses momentos de crise?
21m19s até 28m06s

Segundo Guilherme, nas crises é preciso se moldar com velocidade, se adaptar as mudanças e manter a cabeça positiva. Ele utilizou os exemplos abaixo:

  • Seja capim e jamais seja bambu.
  • Se molde com velocidade, se adapte rápido.
  • O empreendedor de verdade gosta das crises.
  • Na pista seca dificilmente o Senna ultrapassava 10 carros em uma única volta, mas quando tinha uma chuva forte ele fazia isso! Superação.

    Se aproxime do seu cliente, isso é o mais importante.

Como são seus investimentos na pessoa física
34m30s até 39m43s

Guilherme também chegou a expor sua carteira pessoal de investimentos, com alocações em fundos de ações, ativos internacionais, ativos de créditos brasileiros (debêntures, CRIs e CRAs), dentre outros.

Mas ele frisou que cada investidor tem o seu perfil e o benefício maior virá com pensamento em longo prazo.

  • 50% em fundos de ações
  • Aproveita as crises para comprar um pouco mais de ações ou investir mais nos fundos de ações. 
  • Os outros 20% em ativos internacionais, 15% a 20% em ativos de crédito brasileiro (debêntures, cri, cra)
  • 5% em outros ativos como COEs.

Inovação: Home office até o final do ano e a Villa XP
39m45s até 47m27s

No começo da pandemia, a decisão do home office foi difícil. Mas isso engajou uma nova forma de trabalho no negócio, fazendo com que o home office se estendesse e que fosse criado o projeto Villa XP, que segundo ele, ficará pronto até ano que vem.

Cultura e Partnership
47m30s até 55m34s


Ele também reforçou sobre a cultura da empresa e o modelo partnership. É imprescindível que a empresa tenha uma cultura forte.

É importante que os sócios e colaboradores sejam fanáticos na cultura do negócio. Segundo ele, este será o maior legado que se levará na história da XP.

E sobre o recente assunto polêmico entre Itaú e XP, é importante o mercado ter competição. Mas a publicidade do Itaú foi uma comunicação infeliz e que afetou a honra da empresa e da profissão do assessor. Ele acredita que esta confusão já tenha sido superada, mas isso mostra que é nítido o incômodo dos bancos frente ao crescimento da XP. O monopólio bancário de altas tarifas e serviços inapropriados está acabando, e a XP seguirá forte na ambição de transformar o mercado financeiro.

Polêmica Itaú e XP Investimentos
55m38s até 1h00m30s

E sobre o recente assunto polêmico entre Itaú e XP, é importante o mercado ter competição. Mas a publicidade do Itaú foi uma comunicação infeliz e que afetou a honra da empresa e da profissão do assessor.

Ele acredita que esta confusão já tenha sido superada, mas isso mostra que é nítido o incômodo dos bancos frente ao crescimento da XP.

O monopólio bancário de altas tarifas e serviços inapropriados está acabando, e a XP seguirá forte na ambição de transformar o mercado financeiro.

  • Itaú é um acionista importante, mas que não interfere nas decisões da companhia.
  • Se os acionistas não estão satisfeitos com a XP, que vendam suas ações.

Mensagem final 

Como mensagem final, a maior felicidade na vida é termos um propósito. Não é somente o dinheiro. Nós nascemos em busca de uma missão.

O que motiva ele a continuar após tantos recordes é amar o que faz, estar junto de pessoas boas que também querem mudar o mundo, e sempre buscar ser melhor a cada dia.

Assista a essa live inspiradora e cheia de conteúdo no canal na BlueTrade no Youtube:


Webinar – Cripto (muito além da) Moeda

Hoje foi realizada o webinar “Cripto: Muito Além da Moeda” com a presença de Stefano Sergole, sócio e diretor de distribuição da Hashdex, e intermediação de João Cury, sócio e líder de operações na BlueTrade e Eliseu Hernandez da área de produtos e alocação na BlueTrade.

A Hashdex é uma fintech fundada por ele e mais um sócio em 2018, que permite o investimento nos principais criptoativos do mercado. Mas no início, o próprio Stefano tinha certo preconceito por criptomoedas.

Porém o seu preconceito virou curiosidade quando o Bitcoin saiu de US$ 800,00 para US$ 20.000,00 em várias bolsas internacionais. Sem dúvida era um mercado marcado por exageros, mas que deveria ser explorado.

Segundo ele, o criptoativo surgiu na necessidade de se criar uma moeda sem uma autoridade central (como o dólar por exemplo, onde cada nota é devidamente registrada com seu próprio código).

Porém, era importante que a moeda digital também fosse um registro imutável e único.

Ele reforça a importância de blockchains (que regula os criptoativos) mais personalizados, permitindo mais segurança nas negociações e uma maior evolução em sua regulação que, segundo ele, ainda estamos num período gestacional e sem total aderência da moeda por parte dos investidores.

Segundo Stefano, as forças contrárias ao Bitcoin ainda são poderosas, como a chave privada por exemplo, onde em sua perda o investidor perde o acesso e até a custódia de seus ativos digitais.

Mas segundo ele, a regulação está evoluindo após o surgimento da sua gestora.

Atualmente a XP Investimentos distribui o fundo Hashdex Criptoativos Explorer FIC FIM, que tem por objetivo investir até 40% de seu patrimônio em cotas de fundos offshore que replicam o índice de criptoativos HDAI (Hashdex Digital Assets Index) negociado na Nasdaq.

Veja o webinar completo no link abaixo e tire suas dúvidas.