O que é o Come-Cotas?

Come-Cotas é um termo utilizado para  definir a antecipação do recolhimento  do imposto de renda em algumas modalidades de investimento. Certamente quem investe em  fundos classificados como de longo ou curto prazo, como renda fixa, cambiais e multimercados, já se deparou com esse tributo.

Diferentemente da grande maioria dos investimentos, onde só se paga o imposto relativo ao resgate da aplicação, nesses tipos de de fundos, se paga uma parte do imposto de forma antecipada e uma parte no resgate da aplicação. 

Quando esse imposto incide sobre meus rendimentos?

O funcionamento do come-cotas é simples, sendo deduzido a cada seis meses. Ele sempre é realizado no último dia útil dos meses de maio e novembro. Como ele não depende da interferência do investidor, acompanhando seu extrato nessas datas você poderá verificar a alteração em suas cotas de investimento.

Esse é justamente o motivo pelo qual ele recebe esse nome. No come-cotas o imposto é  deduzido diretamente das cotas do investidor. Assim, quando chega a época do come-cotas, é feito o cálculo de quanto o investidor deveria pagar de IR sobre os ganhos das aplicações naquele período e então isso é proporcionalmente deduzido das suas cotas. 

Fundos sujeitos ao come-cotas

Como já foi dito, o come-cotas não incide sobre todos os tipos de fundos de investimentos. Esse processo acontece apenas com fundos que são classificados como curto prazo ou longo prazo, dessa forma, os fundos de ações estão livres do come-cotas. Por outro lado, nos fundos de renda fixa e multimercados, muito conhecidos por parte dos investidores, existe o come-cotas. 

Alíquotas do Come-cotas

O come-cotas sempre irá incidir sobre a menor alíquota de imposto de renda  de cada tipo de fundo. Por exemplo, para os fundos de curto prazo, a cobrança semestral é de 20% em relação aos rendimentos, já para os de longo prazo o valor a ser considerado será de 15%.

No momento de resgatar o fundo, há o cálculo de compensação referente à diferença de alíquotas de acordo com o período de investimento.

Também vale a pena lembrar que a alíquota incide apenas sobre o rendimento neste  período, dessa maneira apenas a valorização do dinheiro aplicado será atingida, não o total  investido.

 

Saiba mais sobre come-cotas assistindo ao nosso vídeo educacional.

 

A hora é agora: por que investir em renda variável.

Em tempos de um cenário um econômico instável, é preciso repensar a forma com a qual você lida com os seus investimentos.  Se você ainda tem receio em investir em ativos de renda variável, infelizmente pode estar perdendo dinheiro.

Existem diversas formas de diversificar a sua carteira e aumentar a rentabilidade, mesmo com risco um pouco maior. 

E por que esse é o melhor momento para realocar a sua carteira?

A perspectiva de juros baixos por mais tempo – com a taxa Selic em 2,0% pelo menos até o segundo semestre de 2021, segundo os principais analistas da área, deve continuar impulsionando a Bolsa brasileira.

Isso por que houve um aumento do fluxo de investidores buscando por uma maior rentabilidade, migrados da Renda Fixa e da Poupança.

Para você ter uma ideia, o número de investidores pessoas físicas na Bolsa chegou a uma marca histórica de 3 milhões de indivíduos, o que revela uma mudança de atitude do brasileiro frente aos investimentos.

Então, não dá mais para fechar os olhos diante dessa oportunidade

Quero saber mais! 

Tipos de investimentos em Renda Variável

Seja você um investidor moderado ou agressivo, o objetivo é sempre o mesmo: ao investir de forma diversificada, é possível evitar a de perda de dinheiro no caso da desvalorização de algum ativo.

Assim, mesmo que você prefira investir em renda fixa, é possível encontrar opções de renda variável mais adequadas para o seu perfil de investidor, caso você tome a decisão de assumir um pouco mais de risco para uma maior rentabilidade. 

Exemplificamos abaixo algumas opções para ativos de renda fixa para diversificar a sua carteira, com informações da XP Investimentos: 

Opções

Opções são contratos onde o investidor tem o direito de comprar ou vender um lote de ações por um preço fixado em um determinado momento.

Pode-se traçar o paralelo de um seguro de carro: quando contratado, você garante o direito de vender o carro por um preço fixado. Mesmo se ele passar por um acidente que o desvalorize.

Ou seja, no mercado de opções são negociados o direito de compra e venda das ações, com preços e prazo pré-fixados. Mas não a obrigação, apenas o direito de compra e venda.

Quero ajuda para investir em Opções!

Contratos Futuros

O contrato futuro é um investimento onde ocorre um acordo de compra e venda em uma data no futuro, por isso o nome. Ou seja, a cotação deriva de outro ativo.

É possível lucrar tanto com a valorização do ativo quanto na queda, a depender se você comprou ou vendeu o ativo.

E tanto o vendedor quanto o comprador se comprometem com a negociação. Seja de ativos financeiros ou de bens tangíveis (como gado e milho, por exemplo).

Quero ajuda para investir em Contratos Futuros

Câmbio

O mercado de câmbio envolve as negociações referente à troca de moedas de diferentes nações. Por exemplo, se você acredita que o valor do dólar em relação ao real vai subir nos próximos meses, pode investir em comprar dólares hoje para vender por um preço maior no futuro.

Ou seja, você investe na diferença cambial entre duas moedas.

Como não é possível saber a cotação das moedas, principalmente em um cenário futuro, portanto, o risco é alto.

Quero ajuda para investir em Câmbio

Derivativos

Derivativos é um tipo de investimento que deriva a maior parte de seu valor de um outro ativo, taxa de referência ou índice. Por exemplo, o valor pode derivar de ações, do ouro ou da taxa de juros.

Esse outro ativo subjacente pode ser tanto físico, como ouro, café, milho, soja; quanto financeiro, como ações, taxa de juros, inflação, etc. E ele pode ser negociado à vista ou no mercado futuro.

Geralmente, são negociados em um padrão: o contrato é previamente especificado em relação a quantidade, qualidade, prazo de liquidação e outros fatores sobre a negociação.

Quero ajuda para investir em Derivativos!

ETFs (Exchange-traded fund)

Considerado a principal porta de entrada para a bolsa de valores, a ETF (Exchange Traded Fund) é uma forma eficiente de investir em ações, que se destaca pela diversificação e baixo custo. 

Na prática, são fundos que representam índices e são negociados em bolsa de valores. Permitem acessar mercados amplos, sem a necessidade (e o custo) de comprar cada ativo individualmente.

Quero ajuda para investir em ETFs!

Conte com a ajuda da BlueTrade para Investir em Renda Variável (H2)

Agora que você já conhece algumas das inúmeras opções para investir em renda variável, e sabe por que esse é um momento ideal para diversificar a sua carteira – tendo em vista a queda dos rendimentos em renda fixa por conta da baixa taxa de juros:

Chegou a hora de dar o próximo passo

Mas se você ainda não entendeu muito bem como tudo isso funciona ou se sente inseguro, a BlueTrade conta com uma das melhores mesas de renda variável no Brasil para te ajudar nessa caminhada. 

Contamos com especialistas focados em desenvolver estratégias inteligentes para que seu dinheiro renda mais, confira algumas delas:

  • Carteiras recomendadas, embasadas por grandes analistas do mercado, como Eleven e DV Invest;
  • Alocações internacionais, ações de empresas que mais crescem no exterior;
  • Produtos alinhados com o seu perfil, com um contato próximo aos brokers que avaliam o seu perfil de investidor. 

Assim, você receberá todo o suporte necessário para realocar a sua carteira nas melhores oportunidades de renda variável, claro, respeitando os seus objetivos e perfil de investidor. 

Então não espere mais de fale com um de nossos assessores o quanto antes!

Fale com um assessor agora!

Como investir em Renda Fixa de forma inteligente.

Você provavelmente deve estar acompanhando nos noticiários a taxa de juros em mínimas históricas no país, hoje a 2% ano.

Se por um lado isso faz com que o custo das dívidas diminua – o que movimenta a economia, por outro os juros baixos derrubam a rentabilidade dos investimentos, principalmente os de renda fixa, como a poupança.

Para você ter uma ideia, a poupança não teve ganho real nos últimos meses e perdeu para a inflação. Isso quer dizer que:

Você jogou dinheiro pelo ralo caso tenha deixado suas economias nesse tipo de aplicação!

E esse cenário deve continuar no longo prazo, então você precisa conhecer um pouco mais a fundo sobre renda fixa para encontrar alternativas mais inteligentes e tão seguras quanto a poupança para que seu dinheiro renda mais.

Quero ajuda para investir de forma mais inteligente!

Conheça os Tipos de Renda Fixa

Se você está começando a investir agora – ou é um investidor moderado, e está buscando aplicações que tragam uma renda recorrente, mas cansou de perder dinheiro com a poupança, não é preciso deixar de lado a Renda Fixa. 

O segredo dos grandes investidores é a diversificação. E sim, até os investidores mais arrojados possuem esse tipo de aplicação em suas carteiras. 

Acredite, existem opções tão seguras quanto a poupança em renda fixa, mas com rendimentos bem melhores e para todo o tipo de perfil de investidor. 

Mas antes de conhecer os tipos de renda fixa, é necessário saber que a rentabilidade desse tipo de investimento geralmente é calculada de duas formas:

  1. Títulos Prefixados:  rentabilidade conhecida antecipadamente, quando o investidor mantém o título até o vencimento;
  2.  Títulos Pós-fixados: a rentabilidade do investimento dependerá do desempenho de um indexador, como a Selic ou o CDI.

Assim, de acordo com o seu perfil, existem diversas opções para diversificar a sua carteira e otimizar os seus rendimentos.

Quero ajuda para investir de forma mais inteligente!

CDB – Certificado de Depósito Bancário

O CDB é um dos investimentos em renda fixa mais simples e populares do mercado. Além de ser tão seguro quanto a poupança, sua rentabilidade é melhor ainda. 

Em resumo, ele é um título emitido pelos bancos para captar recursos para o financiamento de suas atividades.

Em troca deste empréstimo de recursos, ele devolve ao investidor a quantia aplicada mais o valor dos juros acordado no momento do investimento.

Além de ter uma rentabilidade que pode chegar até o dobro da poupança, o CDB tem outras vantagens:

  • Segurança: segurado pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), no caso de investimentos até R$250 mil;
  • Liquidez: se você escolher por um CDB de liquidez diária, poderá recuperar o dinheiro aplicado quando achar necessário; 

Quero ajuda para investir em CDB!

CRA – Certificado de Recebíveis do Agronegócio

Os CRAs são títulos de renda fixa emitidos por empresas ligadas ao agronegócio. Em sua maioria, por produtores rurais ou suas cooperativas, relacionados ao financiamento da atividade agropecuária.

Para isso, a empresa emite um título que representa parte de sua dívida. Os investidores recebem o dinheiro investido somado aos juros, que pode ser predefinido pelo CDI ou o IPCA. Entre os benefícios, destaca-se:

  • Isenção de IR e IOF para a pessoa física, o que significa mais rendimento ao investidor.

Quero ajuda para investir em CRA!

CRI – Certificados De Recebíveis Imobiliário

Os CRIs são títulos de renda fixa privado emitidos por empresas com o objetivo de financiar alguma atividade no ramo de construção civil.

Com os aluguéis recebidos pelos imóveis construídos, a empresa paga os investidores que lhe emprestaram dinheiro.

De forma geral, esse tipo de investimento paga uma taxa prefixada que é conhecida já na compra. Além disso, pode ocorrer também o acréscimo da variação de um índice como a inflação ou o CDI.

Entre os benefícios, destacam-se:

  • Isenção de IR e IOF para pessoa física;
  • Não existe um valor mínimo aplicado aos investimentos em CRI, com apenas R$ 1 mil já é possível iniciar.

Quero ajuda para investir em CRI!

Debêntures – comuns e incentivadas

As debêntures são títulos de renda fixa privada, emitidos por empresas que desejam financiar algum tipo de investimento. 

Elas podem precisar de capital para custear atividades operacionais do dia a dia ou para realizar novos investimentos.

As debêntures incentivadas são exclusivas para empresas que irão realizar investimentos de infraestrutura. Já as debêntures comuns podem ser emitidas por qualquer empresa, seja qual for o objetivo do investimento a ser realizado. 

Entre as principais vantagens, destaca-se:

  • Isenção de IR e IOF (para pessoa física) no rendimento e no ganho de capital, caso estejam enquadradas como debêntures de infraestrutura

Quero ajuda para investir em Debêntures!

Trace uma estratégia de sucesso de Renda Fixa com a ajuda da BlueTrade.

Para concluir, a renda fixa ainda reserva boas oportunidades, com ativos recomendados para todos os perfis de investidores, de conservadores a agressivos. 

O que muda é o tipo de ativo, o indexador, o risco e o prazo. Afinal, diversificação é a chave para o seu sucesso como investidor.

O importante é que você já sabe que deixar o seu dinheiro na poupança não é um bom negócio.

E quanto mais você demorar para tomar uma atitude, mais as suas economias serão engolidas pela inflação. 

Quero meu dinheiro rendendo de verdade!

Você não precisa investir sozinho!

Mas se você ainda não sente segurança para tirar o seu dinheiro da poupança, não se preocupe: não é preciso investir sozinho!

A BlueTrade conta com uma assessoria especializada para te ajudar nessa transição. 

Nossos profissionais buscam pelas as melhores oportunidades e produtos alinhados com seus objetivos. 

Vale lembrar que recebemos o prêmio TIER 1 da XP, como um dos escritórios que mais agregaram valor e eficiência às carteiras de renda fixa dos clientes!

Então não perca mais tempo, fale com um assessor BlueTrade e faça o seu dinheiro render mais! 

Quero meu dinheiro rendendo de verdade!

3 milhões de CPFs é apenas o começo

Neste mês de setembro a bolsa de valores brasileira, a B3, deve chegar a 3 milhões de investidores. Um grande marco sobre a mudança do cenário e da mentalidade do investidor a respeito de seu patrimônio.

O mercado mudou e demanda maior atenção dos investidores sobre suas oportunidades de rentabilidade. É simples entender esse movimento, quando observamos o contexto.

Com a taxa básica de juros a 2%, a caderneta de poupança e ativos da renda fixa indexados ao CDI, são afetados diretamente pelo Juro Real. Seu dinheiro e patrimônio perdem valor com o tempo, principalmente considerando o movimento da Inflação.

Em 2011, quando o cenário econômico brasileiro era outro, a até então BMF&Bovespa, fez uma campanha publicitária com o intuito de trazer 500 mil investidores para a bolsa.

Um desafio, considerando a taxa Selic de quase 13%, vigente na época e o pouco esforço que o brasileiro precisava fazer para ter rendimentos consistentes em ativos conservadores. O movimento de chegada de novos investidores, no entanto continuou o mesmo.

Mas essa propaganda deixou seu legado. Pois apresentou a muitos brasileiros, de forma simples e até então pouco conhecida, como investir na bolsa de valores não era o bicho de sete cabeça que muitos acreditavam.

Ao comparar as empresas da bolsa com a carreira de um dos jogadores de futebol mais históricos do mundo, era fácil explicar que investir na bolsa era bom pra as empresas, pra BMF&Bovespa e principalmente para o investidor.

A B3, precisou de quase uma década para chegar à 1 milhão de investidores. E marcará os 3 milhões em menos de 2 anos. O que mudou?

A resposta correta é tudo. A economia mudou. O mercado está mais maduro, preparado para receber esse investidor que busca melhor rentabilidade. O nível de educação financeira do investidor também melhorou.

Empresas como a XP Investimentos trouxeram maior visibilidade e acesso ao mercado e à produtos até então restritos, além de utilizar a tecnologia para ajudar quem deseja investir.

Ajudar o brasileiro a investir, aliás, tornou-se o propósito de assessores de investimentos, que se capacitaram para ser a principal fonte de informação sobre as melhores oportunidades de investimentos.

Com tantas mudanças ocorridas e tantas outras para acontecer, é certo que estamos apenas no começo e que 3 milhões de CPFs significa um grande passo para a transformação, mas nem de longe será o último.

Se sua carteira de investimentos, fosse comparada à investimentos na carreira de um atleta, como ela estaria?































EXPERT XP | Gabriel Leal: Um novo olhar para um novo futuro

Temos falado sobre mudanças no mercado financeiro, mas em 2020 a necessidade de assumir uma nova postura frente aos seus investimentos, foi escancarada.

A abertura oficial da Expert XP 2020 foi o momento de Gabriel Leal, sócio da XP Investimentos, apresentar o tema do evento este ano. Um novo olhar para um novo futuro!

Os brasileiros se acostumaram a investir em ativos atrelados no CDI, pois viam como uma opção segura em momentos de crise. Mas a lógica do mercado mudou, pois o CDI não está mais na faixa de 15-13% ao ano.

Com o Juro Real em sua mínima histórica, chegando próximo de zero, fica claro que quem deseja maior rentabilidade deverá mudar a sua forma de investir. Apender a tomar risco e diversificar seu patrimônio.

Diversificação

O brasileiro não precisa inventar a roda. O segredo está em entender bem seus objetivos no longo prazo e diversificar sua carteira para alinhar às suas necessidades.

Um exemplo a ser entendido é de que em diversas economias mundiais com juros baixos, a grande maioria dos investidores possuem cerca de 60 de suas carteiras em renda variável.

Esse investidor, tende a ter uma estratégia clara e que no longo prazo, apesar de variações, acaba trazendo maior rentabilidade.

O fim do CDI

O brasileiro não precisa tomar a mesmas atitudes que a de investidores em outros países. O que a Expert XP 2020 e os conteúdos do evento querem, é que o brasileiro aprenda a investir e não apenas guardar seu dinheiro, esperando e dependendo do CDI.

Os especialistas acreditam em um CDI baixo no longo prazo. Atualmente um ativo atrelado ao CDI poderia ter uma rentabilidade até 50% menor que a de outras épocas, com o juro real por volta dos 8%.

O número de investidores na bolsa de valores vem aumentando exponencialmente nos últimos 2 anos, trazendo pessoas para novas oportunidades de investimentos até então pouco explorada no Brasil.

Grande parte dessa evolução se deve também ao trabalho da XP na educação financeira no país, com eventos como a expert, e no assessor de investimentos por conseguir apresentar as melhores oportunidades nesses momentos.

Quer saber mais sobre esse novo olhar para o futuro?  Acompanhe a cobertura completa da Expert XP 2020. E inscreva-se AQUI para assistir as próximas palestras.

Redes sociais da BlueTrade

Instagram: https://www.instagram.com/BlueTradeInvest/
Facebook:
https://www.facebook.com/BlueTradeInvest
Linkedin:
https://www.linkedin.com/company/BlueTradeInvest
YouTube:
https://www.youtube.com/BluetradeTv

A Expert XP 2020 já começou!

O mercado financeiro se prepara todos os anos para o maior evento sobre investimentos no mundo, a Expert XP. Não é à toa que quando o evento presencial foi cancelado, por conta do agravamento dos casos da covid-19 no Brasil, todos nós lamentamos.

O evento vem se reinventando a cada ano, e a cada nova edição vai ocupando espaços ainda maiores na formação de assessores de investimentos e clientes.

Isso porque o evento tem uma agenda de conteúdos muito robusta, que vão de assuntos ligados à política, economia, inovação, produtos financeiros, até mesmo, conteúdos mais comportamentais, como resiliência, liderança e histórias de superação.

Felizmente a XP Investimentos, decidiu que não havia motivo para o evento não acontecer esse ano. Sendo assim, 2020 marca um novo ciclo para o evento. Sendo realizado pela primeira vez de forma 100% digital e gratuita.

Legado Digital

Quando os mercados internacionais foram abalados pelo início da crise do Coronavírus, durante a celebração do carnaval, o mercado sabia que sentiria os impactos.

Enquanto muitas instituições se esconderam, a XP decidiu fortalecer sua comunicação com seus clientes. Com uma agenda poderosa de lives com nomes como, Ministro Paulo Guedes, Howard Marks e Luis Stuhlberger.

Nascia assim um legado digital que daria espaço para que a Expert XP 2020 pudesse ser realizada.

Com propósito de melhorar a vida das pessoas, propósito da XP, o conteúdo sempre foi focado em como ajudar investidores, empreendedores e qualquer pessoa que buscasse conhecimento, a entender o cenário atual, se preparar para a retomada e se ajustar a um momento, sem precedentes em nossa geração.

Expert XP 2020

A mudança no formato não foi a única inovação da Expert XP 2020. O evento foi completamente reestruturado, passando a ter 5 dias de duração, stands virtuais, Hub 360, com conteúdo em todas as mídias em que a marca está presente, e claro, palestrantes que conversam diretamente com o momento atual.

Malala Yousafzai, Nassim Taleb, Adena Friedman, Ray Dalio e Magic Johnson são apenas alguns do nomes, que irão fazer parte da programação.

O intuito é levar conteúdo de qualidade, de forma democrática e com real impacto na vida das pessoas. Educação financeira sempre foi um dos grandes pilares da XP (a empresa nasceu focada em cursos sobre investimentos).

Por isso tornar acessível todo conhecimento dos maiores especialistas e cabeças pensantes, em um só evento e de forma gratuita, é algo que apenas a XP Investimentos faria no Brasil.

Conteúdo a um clique
Acompanhar todo o conteúdo disponível nesses 5 dias, , e que faça sentido pra você, requer planejamento. Existem diversos conteúdos simultâneos, com focos e abordagens diferentes, por isso faremos junto à BlueTrade a cobertura do evento nas redes sociais.

Você também pode se inscrever AQUI e conferir todo o conteúdo preparado pelo evento em uma plataforma, preparada exclusivamente para receber você. No site do evento você também encontra, a programação completa e detalhes exclusivos.

Esperamos por você nessa edição histórica do maior evento de investimentos do mundo!

Redes sociais da BlueTrade

Instagram: https://www.instagram.com/BlueTradeInvest/
Facebook:
https://www.facebook.com/BlueTradeInvest
Linkedin:
https://www.linkedin.com/company/BlueTradeInvest
YouTube:
https://www.youtube.com/BluetradeTv

Previdência Privada: Pontos essenciais para escolher o seu plano

A palavra previdência nunca esteve tão em alta, você pode ligar em qualquer noticiário e lá estará ela. Com a reforma aprovada  em julho 2019 o termo ganhou notoriedade e passou a fazer parte do cotidiano das pessoas.

Mas você sabia que a previdência vai muito além da Previdência Social?

Hoje vamos falar sobre o que é previdência privada e por que ela pode ser um bom investimento para garantir uma aposentadoria mais tranquila e também garantia de segurança para o futuro de sua família.

A Previdência Privada nada mais é do que a possibilidade de investir em fundos com foco no longo prazo, assim você investe em um auxílio para sua aposentadoria no futuro.

Escolher um plano de previdência requer muita atenção e planejamento. Além de haver vários fundos disponíveis no mercado, você ainda precisa escolher o modelo, entre PGBL e VGBL e calcular o período que deseja aplicar.

Por esse motivo, separamos os sete pontos principais, que poderão te ajudar na escolha do plano ideal para seu perfil e seus objetivos.

1 – Taxa zero

Como esse investimento é pensado para garantir que você possa usufruí-lo no futuro, é importante que você procure planos com ZERO de taxa de carregamento de entrada e saída. Assim, você não precisará se preocupar em pagar por taxas ao decidir entrar no plano, sendo que não irá usufruir de seus rendimentos por um longo período, nem quando for sair e ter parte do seu investimento

2 – Taxa de Administração abaixo de 1%

É importante você saber que Fundos de Renda Fixa conservadores não devem cobrar acima de 1% ao ano para a administração. Sendo assim, entrar em fundos que apresentem uma taxa acima deste valor podem comprometer seus investimentos.

3 – Diversificação

É muito importante lembrar que diversificação também pode ser aplicada à Previdência Privada, já que ela não é apenas um investimento de Renda Fixa. Além disso, também existem diversos fundos específicos, criados para atender perfis específicos de investidores, e que podem lhe trazer maiores possibilidades de rentabilidade.

4 – Evite atendimento reativo

Como em qualquer investimento, contar com uma assessoria completa para sua Previdência é muito importante, portanto, não aceite um atendimento que só procura você no momento em que decide fazer a portabilidade para um fundo melhor de outra instituição.

5 – Busque quem realmente entende

Com o mercado em alta e com muita gente interessada em investir, sempre aparecem empresas que decidem seguir a onda sem realmente possuir as credenciais para um atendimento seguro e conhecimento. Procure gestores que realmente possam te orientar quando as diferenças de investimento em todas as categorias: renda fixa, multimercado, inflação e balanceados. Você também pode checar se o profissional  e a instituição que lhe oferece assessoria está devidamente credenciado na CVM (Comissão de valores mobiliários). 

6 – Busque quem seleciona o melhor produto para o seu perfil

Conhecer seu perfil de investidor é muito importante para que vocês saiba onde e como deve investir seu patrimônio. Na hora que de decidir entre PGBL E VGBL, lembre-se que os planos PGBL são vantajosos apenas para quem faz declaração completa de Imposto de Renda. Caso não tenha certeza qual tipo de IR você declara, contrate um VGBL.

7 – Atendimento e relacionamento

Contar com uma assessoria qualificada faz toda diferença para seus investimentos. Para aproveitar as melhores oportunidades do mercado, é essencial ter um  atendimento que esteja constantemente em contato com você, e consiga apresentar as melhores opções de investimentos.

Conclusão

Sempre que investimos nosso patrimônio estamos em busca de segurança e rentabilidade, pois isso é tão importante contar nesse processo com empresas e profissionais sérios e competentes. Investir com quem se preocupa com o seu capital além de evitar dores de cabeça, garante que seus investimentos não sejam comprometidos. Com as dicas que passamos neste post acreditamos que seu primeiro investimento na Previdência Privada ou sua portabilidade serão muito mais tranquilos.

 

Veja nosso vídeo com dicas para ajudar você a escolher a melhor opção em Previdência Privada.

 

 

Fundos Imobiliários Logísticos: O que são e como investir?

Há diversos tipos de fundos imobiliários disponíveis no mercado e cada um com característica e muitas vantagens para quem deseja investir em FIIs. Um dos tipos mais comuns e em maior ascensão no setor são os fundos imobiliários de galpões logísticos. 

Esse modelo consistem em veículos de investimentos que investem em grandes imóveis construídos para fins logísticos.  Tais como depósitos, docas, estoques entre outros tipos utilizados nesta indústria.

Assim como todas as outras modalidades de fundos imobiliários, ele também conta com todas vantagens como renda mensal por meio de aluguéis e a garantia de que um profissional altamente qualificada está gerindo seu dinheiro, a fim de buscar a melhor possibilidade de rentabilidade para vocês.

Outra característica que também faz dos fundos imobiliários de galpões logísticos uma boa opção para investidores é que ele possui especificidades quando comparado com outros modelos de FIIs, o que faz desta modalidade de investimentos uma alternativa interessante para aqueles que estejam dispostos a diversificar sua carteira de investimentos. 

Os fundos de galpões tendem a ser caracterizados como investimentos um pouco mais defensivos do que os de outros setores. A principal razão para isso é a forma como seis contratos são estruturados que em geral tendem a ser orientados ao longo prazo.

Esse fato faz com que esse tipo de fundo tenha uma previsibilidade maior sobre seus resultados e assim os proventos em geral são bem constantes.

Outro fato interessante sobre os galpões logísticos é que eles sempre serão necessários, desse modo este setor não corre riscos de transformação tão grandes, como acontece com as lajes corporativas e shoppings, onde o home office e o comércio eletrônico são ameaças reais ao varejo.

O atual cenário econômico favorece a grande procura por galpões logísticos, por seu um dos setores que mais rapidamente será atingido de pla recuperação do país.

Conclusão

Com diversas vantagens para quem deseja investir nessa modalidade, os fundo imobiliários de galpões logísticos podem ser uma boa opção para uma carteira de investimentos. Ele diminui o risco médio dos seus investimentos por conta da previsibilidade maior, o que gera mais segurança para o investidor. 

 

Assista ao vídeo abaixo e saiba mais sobre Fundos Imobiliários de Galpões Logísticos

   

 

 

Fundos Imobiliários: 5 vantagens que todo investidor deve conhecer

Os fundos imobiliários tem se destacado no mercado financeiro por sua facilidade em investir, liquidez e rentabilidade, especialmente no atual cenário econômico, mas além o que muitos investidores não sabem é que essas são apenas algumas das principais vantagens desse modelo de investimento.

Para esclarecer de uma vez por que os fundos imobiliários são tão atraentes para os investidores elencamos algumas de suas principais características que acreditamos que todo investidor em FIIs deveria saber.

1 – Praticidade.

Os fundos imobiliários são negociados diretamente na bolsa de valores e podem ser adquiridos através do seu Home Broker ou mesa de renda variável, de forma fácil e segura. 

Para quem já teve a oportunidade de lidar com a compra ou venda de um imóvel e sentiu na pele os desafios burocráticos para a compra de um imóvel físico, com toda certeza essa facilidade é um grande diferencial dessa modalidade de investimentos.

Além disso é possível acompanhar o valor de mercado dos imóveis que estamos investindo, além de poder verificar as principais ofertas e aproveitar as oportunidades disponíveis no book para compradores e vendedores.

2 – Fracionamento.

Nos investimentos em FIIS é possível comprar novas cotas ou vender parte de suas cotas, sem necessariamente ter que negociar todo seu investimento. Dessa maneira você tem liquidez caso precise de dinheiro ou deseje aplicar parte de seu capital  em outro tipo de fundo.

 No  caso de um imóvel físico além de não ser possível vender apenas uma parte do imóvel também não há garantias que você rapidamente conseguirá vendê-lo.

3 – Inquilinos de primeira linha.

Ao se investir em FIIs, geralmente você está investindo em prédios utilizados pela maiores empresas do país como Shoppings, hospitais, plantas fabris, prédios  comerciais, hotéis as possibilidades são inúmeras. 

Assim, além de possuir imóveis locados a inquilinos de excelente qualidade você também tem a segurança de que seu investimento, já que não precisará correr atrás dessas empresas para pagarem o aluguel desses imóveis. 

4 – Diversificação. 

As opções de investimento em fundos imobiliários são inúmeras, assim ao você investir é possível optar por uma grande diversidade de tipos de imóveis que vão de hospitais à shoppings. Esse é uma boa saída para diversificação de seus investimentos em FIIs.

Ao se investir em imóveis por exemplo, você deve optar por um imóvel  e acaba se limitando a depender dos ganhos de apenas um único imóvel, seja ele um apartamento ou um escritório. Com FIIS você pode diluir os riscos e aproveitar as vantagens de vários setores.

5 – Administração por profissionais qualificados.

Quando investimentos em fundos imobiliários você transfere a responsabilidade da administração do imóvel para os profissionais especializados que atuam na gestão destes fundos. 

Esses profissionais fazem parte das maiores empresas imobiliários do país e atuam em conjunto ao fundo para garantir todos os detalhes administrativos e de manutenção do Imóvel. Com isso ao contrário de quando você compra um imóvel, você não precisará se preocupar com inquilinos, conservação predial ou outras atividades relacionadas aos imóveis que está investindo.

Conclusão

Investir em fundos imobiliários te garante tranquilidade e segurança. Ao investir em fundos imobiliários, você deixa para trás diversos processos burocráticos existentes para quem deseja investir em imóveis. 

Como os FIIs são negociados diretamente na bolsa de valores, se tornar sócios dos maiores imóveis do país nunca foi tão fácil, já que a administração será realizada por empresas e fundos especialistas no assunto e esses profissionais fazem parte das maiores empresas imobiliários do país .

 

 

Saiba como declarar sua Previdência Privada no Imposto de Renda

Quando chega a época de declarar o imposto de renda Investidores na Previdência Privada, tanto na modalidade PGBL quanto na Modalidade VGBL precisam estar preparados para declarar sua PP.

 

Não é raro encontrarmos pessoas com muitas dúvidas sobre como declarar sua previdência privada, quais transações devem ser declaradas e se há uma real necessidade de declarar esse investimento no Imposto de renda.  

 

É importante saber que todos os aportes ou saques nos planos de previdência privada, independentemente da modalidade, PGBL ou BGBL, que foram realizados durante o calendário anterior ao IR (ano anterior) devem ser obrigatoriamente declarados de maneira bastante clara e específica no formulário do IR.

 

PGBL – Contribuições 

 

Seguindo os códigos 36 e 38 da ficha de Pagamentos efetuados, todas as contribuições realizadas no período referente ao ano anterior a declaração devem ser informados da maneira como informado pelo informe de rendimentos de sua seguradora. 

 

Para se obter o máximo de benefício fiscal disponível dentro dessa modalidade é necessário realizar sua declaração no modelo completo da declaração do imposto de renda, dessa forma se enquadrando para receber 12% de dedução no IR, sendo 12% também o limite de sua renda tributável anual. 

 

Caso você opte pelo modelo de desconto simplificado, você não poderá utilizar p limite dedutível de 12%, sendo essa a maior vantagem desse modelo o PGBL não seria o melhor modelo de previdência privada para você. 

 

Outro ponto importante a se pensar, principalmente relacionado à adequação do seu perfil, é não realizar contribuições acima do limite dedutível do seu plano PGBL já que nesse caso todo o excedente desse limite deixa de ser dedutível e será tributado normalmente no IR.

 

PGBL – Saque

 

Da mesma forma que as contribuições, todos os valores resgatados ou benefícios concedidos do seu PGBL devem de maneira obrigatória ser registrados integralmente na fichas: “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica” para planos que estejam submetidos ao regime tributário progressivo ou na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva” em casos de planos sob o regime de tributação regressivo.

 

VGBL – Contribuições 

 

No modelo de tributação  VGBL as contribuições feitas ao longo do ano calendário devem ser declaradas na ficha “Bens e Direitos” por meio do código 97 que corresponde ao VGBL. Nesse caso os valores de rendimentos obtidos ao longo do ano anterior não deve ser informados, apenas o valor das contribuições realizadas.

Em caso de planos VGBL  com mais de um ano, você declarará a soma de todas as contribuições já realizadas de acordo com o informe de sua seguradora. 

 

VGBL – Saques  

 

Seguindo a mesma regra, quando for realizar o saque de seu rendimentos você deve estar atendo a qual foi regime de tributação escolhido por você.

Da mesma maneira seguida pelo PGBL, no VGBL os valores resgatados precisam ser registrados como “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica” caso você tenha optado pelo regime tributário progressivo, ou informado na ficha  “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva” em casos de planos sob o regime de tributação regressivo.

 

Mas ao contrário do PGBL, nessa modalidade o imposto de renda incide apenas sobre o rendimento de sua aplicação dessa maneira os saques de patrimônio acumulado anterior à declaração esse valor deverá ser ajustado na ficha “bens e direitos”, registrando quais foram as contribuições realizadas e quais foram os resgates realizados.

 

Conclusão

 

Apesar das dúvidas de muitas pessoas é bastante simples declarar a previdência privada no imposto de renda. mas para não cometer erros e evitar dores de cabeça , você deve sempre estar atento ao seu modelo de tributação.

Esse será o principal fator de distinção entre a declaração para cada tipo de investimento. Tanto para o VGBL quanto para o PGBL, você deverá declarar tantos seus saques quanto contribuições, seguindo os informes de rendimentos emitidos por sua seguradora.