Muitas vezes por impulso consumimos mais do que deveríamos

Existem várias regras sobre como ter uma vida financeira estável e outras tantas de como investir o patrimônio financeiro. Nesta coluna já discorri sobre várias delas, pois são de extrema importância.

Entretanto nem sempre conseguimos segui-las. Nem sempre acompanhamos nosso orçamento contabilizando todas as entradas e saídas. E muitas vezes por impulso consumimos mais do que deveríamos ou na tentativa de ganhar dinheiro rápido, tomamos riscos muito maiores e acabamos no prejuízo.

Culpar a si mesmo e chamar-se de idiota não vai adiantar. Enfrentar o problema de frente é muito mais produtivo.

Perdoe-se  

No livro “Idiotices Que Pessoas Inteligentes Fazem Com O Próprio Dinheiro” JILL SCHLESINGER enfatiza a importância de perdoar-se. Todos cometemos erros nos relacionamentos, carreiras e com dinheiro. Isso significa que não precisa de xingamentos pessoais, o que é tanto injusto quanto improdutivo.

Chamar-nos de idiota, por exemplo, é uma desculpa. Sabemos que isso não é verdade. Esse tipo de atitude geralmente interrompe o processo de reflexão rapidamente e de reação ao erro.

Não ignore problemas  

É bastante comum postergar lidar com os problemas. Mesmo porque às vezes temos vergonha do erro cometido que nos leva a mentir inclusive para o cônjuge. E quem quer lidar com algo que nos faz sentir estúpidos?

Mas esses problemas tendem a se agravar. Por exemplo, alguns pagamentos de contas perdidos podem gerar multas, juros dívidas, cobranças, crédito danificado e assim por diante.

Muito dinheiro perdido em um investimento errado pode comprometer um plano familiar futuro que, se ignorado, pode virar um problema ainda maior. 

Reflita sobre o erro  

Parece um clichê (pois é mesmo), mas de fato refletir o erro pode evitar cometê-lo novamente.

Quando não aprendemos com nossos erros, infligimos estresse desnecessário a nós mesmos e aos outros, e corremos o risco de perder a confiança das pessoas e a confiança em nós.

Um amigo ou cônjuge sem julgamento é inestimável ao gerenciar erros financeiros. Se você puder ter essa pessoa em sua vida, isso proporciona muito alívio psicológico e uma experiência positiva.

E, extremamente importante, a reflexão revela que o erro não foi catastrófico, apenas mais um.

Que nos leva ao último ponto:

Não fique preso  

Se você é como eu, então você tem a tendência de ficar preso na autocrítica paralisante. Isso não é nada legal.

Existem várias maneiras que psicólogos recomendam para lidar com isso. Abordar esses assuntos foge da minha área de especialidade e do tópico do texto.

Entretanto, desenvolver um relacionamento saudável com dinheiro e com nós mesmos é um processo contínuo, duradouro e de longo prazo.

No caso do dinheiro, é só permanecer nas regras amplamente divulgadas.

Saiba como investir seu dinheiro:








Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *